Silêncio Criativo: Meditação coletiva para o autocuidado

Querid@s, bom dia!

É com muita alegria que divulgamos o “Silêncio Criativo: Meditação coletiva para o autocuidado”. Evento voltado a empreendor@s criativ@s e demais profissionais para o exercício do silêncio e da quietude, abrindo mais espaço em nossa mente para o contínuo surgimento do novo e plantando a semente do autocuidado para 2019. 😉

Traga sua canga ou tapete de yoga e vamos meditar!

Confirme sua presença no: https://goo.gl/forms/F2id6ndxVklZVar73

O quê: Silêncio Criativo: Meditação coletiva para o autocuidado
Quando: Sábado, 08/12/2018 às 8:30h
Onde: Parque Eduardo Guinle (Rua Paulo Cesar de Andrade s/n, Laranjeiras)
Valor: Contribuição voluntária [+ info: (21)98051-7278]

Advertisements

Obrigada

Muito obrigada muito obrigada

Pela luz e pela paz

Obrigada obrigada

Esplendor que me refaz

Obrigada, quietude.

Desapeguei do que ficou pra trás.

A bênção da realização profissional: fazendo as pazes com o doutorado

Realizei que sou muito feliz com meu trabalho.

É sério. Muito sério. Hoje eu trabalho com tornar realidade tudo aquilo que estudei, que pesquisei, que aspirei. E lembro que eu costumava falar que eu queria trabalhar com o mundo real. Aplicando. Tendo impacto real na sociedade…

Eu costumava falar que queria ajudar a materializar as coisas. Não ficar só no universo teórico. E hoje me vejo aqui, trabalhando com pesquisa, desenvolvimento e inovação para a indústria. Ajudando a transformar teoria em realidade. Encarando os desafios científicos e tecnológicos da transformação de um ideia em produto.

Eu sinto uma gratidão profunda por isso. Muito profunda.

Muito obrigada, Universo. Muito obrigada.

É uma felicidade constatar que estou vivendo o que sempre quis viver. Estou muito muito feliz.

Estou entendendo na prática o valor de cada paper. De cada aula de laboratório. (Que eu sempre achei chata por sinal rsrs)

Estou entendendo que nada é desenvolvido sem laboratório.

Como são relevantes as aulas de análise química e métodos analíticos. Como são importantes os relatórios de laboratório. A estruturação da informação para viabilizar a reprodutibilidade do trabalho…

Como é importante buscar entender com profundidade como ocorre cada fenômeno observado num experimento.

Como é importante ter critérios e condições bem estabelecidas e controladas num experimento para garantir sua validade num processo de desenvolvimento científico e tecnológico.

E que mudança de paradigma estou vivendo.

Tudo isso é muito especial.

E acredito que os jovens que hoje acham tudo isso um saco poderiam ter essa perspectiva. Da importância de cada pequena fração de conhecimento para o avanço tecnológico, econômico, social e cultural de uma sociedade.

Cada minúscula parte do todo é importante. Cada minúsculo avanço é valioso.

E é por isso que doutorandas e doutorandos devem se valorizar só por existirem.

A vida de vocês é valiosa para a humanidade. Cada resultado é valioso. Por mais insignificante que você ache que ele é.

Sua vida importa.

Livro “Ecologia Industrial”: onde comprar

Gente,

Muitas pessoas têm me perguntado onde comprar o livro “Ecologia Industrial: Desafios na Perspectiva da Economia Circular”. CONVITE-Ecologia Industrial 4

Agradeço demais pelo interesse de vocês! 🙂

Você pode adquiri-lo pela internet:

Ou em lojas físicas (exclusivamente na cidade do Rio de Janeiro):

  • Livraria Argumento (Leblon);
  • FGV Livraria (Botafogo);
  • Aliança Universitária;
  • Travessa (site) – Se houver procura pelo site, eles fazem pedido pra loja.

Espero que gostem da leitura e fiquem à vontade para comentar sobre as suas percepções! 🙂

Ecologia industrial: livro aponta caminhos para o descarte e reaproveitamento de resíduos da indústria

Lançamento acontece em 30 de agosto, na livraria Argumento, no Leblon (RJ)

Um dos grandes desafios da sociedade moderna é reduzir o alto nível de poluição resultante de processos produtivos indusconvite-ecologia-industrial-4.jpgtriais. Segundo o Departamento de Resíduos Sólidos do Ministério do Meio Ambiente, o Brasil recicla somente 13% dos resíduos industriais. Dentro deste contexto, o livro Ecologia Industrial, das professoras Alessandra Magrini (Coppe/UFRJ) e Lilian Veiga (IFRJ), analisa a potencialidade, a viabilidade e a urgência de se empreenderem no Brasil experiências de reconfiguração e planejamento de arranjos produtivos com base nos princípios e instrumentos da Ecologia Industrial.

O livro foi organizado de maneira didática, abordando a questão da Sustentabilidade e da Economia Circular; passando por análises acerca da Gestão Ambiental, Localização Industrial e Ecologia Industrial. São apresentadas também quatro pesquisas sobre criação de Parques Eco-Industriais (PEIs) e Simbioses Industriais (SIs) e sobre a transformação de Distritos Industriais em Parques Eco-Industriais. No final, o livro traz um apanhado das experiências de PEIs e SIs em países desenvolvidos e emergentes com detalhes do caso brasileiro.

Victoria Santos, consultora do Instituto de Inovação em Biossintéticos do SENAI CETIQT e coautora do capítulo intitulado Planejando a Criação de Parques Eco-Industriais e Simbioses Industriais, destaca as ideias apresentadas para a criação e consolidação de redes de simbiose industrial: “a simbiose industrial preconiza a colaboração entre diferentes unidades produtivas por meio do intercâmbio ou compartilhamento de recursos, como resíduos, energia ou mesmo infraestrutura, visando tanto a melhoria do desempenho ambiental, como aumento de competitividade dos participantes”. O livro inclui também estudos de casos do Distrito Industrial de Paracambi, na região metropolitana do Rio de Janeiro, e da indústria sucroalcooleira de Campos dos Goytacazes, no norte do estado. “A Ecologia Industrial oferece soluções de engenharia para a materialização da Economia Circular, e a Simbiose Industrial é um dos instrumentos utilizados para este fim”, afirma Victoria.

O SENAI CETIQT, instituição que é referência de ensino, consultoria e inovação nas áreas têxtil, de confecção e química, está atento a esse movimento, tendo lançado recentemente um projeto para estimular a criação de biostartups que apresentem soluções sustentáveis para os resíduos industriais. Além disso, o curso de Engenharia Química da instituição aborda junto aos alunos os conceitos apresentados no livro, contribuindo assim para a formação de profissionais preparados para atender as demandas da sociedade moderna, em linha com os princípios da sustentabilidade e da economia circular.

O livro Ecologia Industrial: Desafios na Perspectiva da Economia Circular é especialmente indicado para gestores públicos, empresários, pesquisadores e acadêmicos. O lançamento acontece amanhã, 30 de agosto (quinta-feira), às 19h00, na Livraria Argumento, no Leblon (Rua Dias Ferreira, 417), Rio de Janeiro.

Fontes: https://www.segs.com.br/demais/132975-ecologia-industrial-livro-aponta-caminhos-para-o-descarte-e-reaproveitamento-de-residuos-da-industria

http://senaicetiqt.com/ecologia-industrial-livro-aponta-caminhos-para-o-descarte-e-reaproveitamento-de-residuos-da-industria/

Lançamento do livro “Ecologia Industrial – Desafios na Perspectiva da Economia Circular”

Querid@s, gostaria de convidá-los para o lançamento do livro “Ecologia Industrial – Desafios na Perspectiva da Economia Circular” organizado por Alessandra Magrini e por Lilian Veiga.
Nele, sou coatora do capítulo “Planejando a Criação de Parques Eco-Industriais e Simbioses Industriais”.
O lançamento será no dia 30/08/2018 às 19h na Livraria Argumento no Leblon.

CONVITE-Ecologia Industrial 4

Adaptando template LaTex de tese Coppe/UFRJ para quem vai escrever a tese em ingles (2): ficha catalográfica

Mesmo com o ajuste no template para tese em inglês (apresentado nesse post), a ficha catalográfica ainda precisa ser reajustada por dois motivos:

  1. Quando o(a) autor(a) e/ou orientador(a) tem mais de um sobrenome, os dois últimos são colocados antes da vírgula. Por exemplo: o nome da pessoa é Fulana Sicrana Oliveira Beltrano. Os sobrenomes são “Oliveira Beltrano”. Então na ficha do template vai aparecer: “Oliveira Beltrano, Fulana Sicrana”. O problema é que a COPPE|UFRJ só aceita com um sobrenome antes da vírgula. Ou seja, “Beltrano, Fulana Sicrana Oliveira”.
  2. Quando o template é passado para inglês, ele fica com “Bibliography” para indicar as páginas das referências bibliográficas. Só que a COPPE|UFRJ só aceita “Referências Bibliográficas”. Mesmo com a tese sendo em inglês.

Para adequar o primeiro item (os sobrenomes), precisamos fazer o seguinte:Read More »

Lessons from the PhD

  1. Don’t push yourself too hard. It can play against you. Be gentle.
  2. Don’t try to salve the whole world with your thesis. It is only an infinitesimal step. Be conscious of it. It is better to do a tiny thing well done than not doing a huge thing. (It is equal to the saying: “do not try to embrace the world”)
  3. Work in chapters. Organize your research so that each stage of your work is related to a particular chapter. Be sure to have finished each chapter before going to the next one.
  4. The worst case scenarios can occur. Be aware of it. That is, be optimistic, but keep it real.
  5. Sometimes things get really hard. When there is nowhere from where to get the strength to keep on going. But be aware that nobody is going to do your work for you. Make up your pieces and move on.
  6. Work on your dissertation from the first day. And work on it every day since then. Make it a habit. Your future self will be thankful for it.
  7. All this journey has an end. Fortunately.

My abilities are for me to flow not to suffer

These days, I have been connected with it and today everything made sense.

My intelligence, my fast thinking, my engineering background, my language skills… these are all abilities that are meant to make me flow with ease. They are not my life challenges. They are resources.

For so many years I have been mistaking them for my real life purpose… so much time and energy on it…

and they are not.

They are in fact my passport to a smooth and comfortable life… the means for me to smile and keep on moving… not suffering… being thankful instead.

I don’t need to fear.

My real challenge resides in the understanding of what life is all about. Resides in understanding who am I. In getting to know deeper and deeper the pathway and purpose of my soul on planet Earth.

I came here to relax. To be calm. And wake up.

Hence, my real challenges reside in meditation and connection with my higher self. In understanding and living upon a deeply ingrained feeling of self-worth and joy.

I am worthy. No matter what.

My real challenges reside in understanding what Love is all about and living upon it.

Discovering self-love.

Understanding self-love.

And existing upon self-love.

This is my life purpose. This is where my energy must be invested in most of my time.

The PhD and my professional life are gifts.

They are blessings meant to make my life flow calmly and smoothly while I learn what I have to learn. And live what I have to live in order to achieve what I have to achieve. That is an expanded consciousness. An integrated existence with my body, mind, and soul. Understanding the power of my DNA. The power of being my own oracle. Connected with the creative source of the Universe.

Being human and being boundless.

All is one.

And I am grateful.

Life: a work in progress

I am living in a world where there is so much to be done. Several times (in fact, all the time), I used to push myself to do as much as I could. With tension. With a feeling that nothing would be enough. Feeling guilty and not giving attention to my family and to myself.

But now I understand that everything has its own pace and that just by existing I am already doing what I came here to do.

Things are working out and progressing. Each contribution is THE contribution. Each drop of effort is building the ocean of peace, health, happiness and joy for humankind on Earth.

Each drop. Each step. Each piece. Each inch is relevant. And I am one of them.

I am learning to feel enough about myself. And I am also learning that each human that came before me has also done his/her part. Has also put a drop in the enlightened ocean. Making it bigger and deeper inch by inch.

We continue.